Existem muitas formas de proteger seu melhor amigos durante os passeios de carro. O mercado disponibiliza diversos acessórios para garantir a segurança do pet, mas o que preocupa os veterinários é que nem sempre eles são usados da forma correta. Muitos tutores acabam deixando o cão solto dentro do veículo para que possam circular e colocar o rosto pela janela, já que muitos cachorros parecem adorar a façanha.

dog-1451448_960_720Cães que não estão usando acessórios para segurança correm o risco de se machucar ou de ferir algum passageiro do veículo. E isso pode ocorrer não apenas num acidente, até mesmo uma pequena freada basta para um cão ser arremessado dentro do carro, se ferindo e podendo machucar alguém. Por exemplo, em um veículo que sofra uma colisão a uma velocidade de apenas 48km/h, um cão de 35kg projeta mais de uma tonelada de força durante o impacto (*).

Diante desses números fica bem mais fácil lembrar de usar o acessório correto, não é mesmo? Então confira as dicas da veterinária Jenifer Bansho.

1 – Caixas de transporte

“A primeira medida para quem prefere levar seu cão em caixa de transporte é verificar o tamanho ideal. A caixa deve possibilitar que o animal fique em pé e que possa rotacionar dentro da caixa”, explica Jenifer. “E atenção para a fixação! A caixa de transporte deve ser presa ao cinto de segurança do veículo pois, caso contrário, também pode ser arremessada em caso de acidentes”, complementa.

Também não é recomendado levar a caixa de transporte no porta-malas. Mesmo que ela possa ser fixada, a má ventilação é perigosa e gera estresse para o animal. Quando não houver alternativa, deve-se colocar a caixa sem o tampão do porta malas e refrescar a temperatura interna do veículo.

2 – Cinto de segurança

“O cinto de segurança para pets é uma ótima opção para o transporte do cão no veículo. Além de seguro, o cachorro pode visualizar o tutor e a paisagem externa, ficando mais calmo e sofrendo menos com temperaturas mais altas”, comenta a veterinária. “Mas é importante frisar que o cinto de segurança deve ser usado com um peitoral, pois este distribui os pontos de impacto. Nunca usar o cinto fixado a coleira de pescoço, pois durante o impacto esta pode gerar asfixia e facilitar uma lesão na coluna cervical”, ressalta.

3 – Cadeirinha para pet

Para os pets de pequeno e médio porte (até 15kg), a cadeirinha é a opção mais indicada. Ela deve ser completamente encostada no banco traseiro. A tira de segurança traseira da cadeirinha deve ser fixada no encosto da cabeça do banco de trás e a tira frontal, ao redor do encosto de cabeça do banco dianteiro. O tutor deve passar o cinto de segurança do automóvel por dentro das guias localizadas frontalmente na cadeirinha e, por fim, fixar o gancho para guia no peitoral do animal.

4 – Como transportar outros pets

Gatos que estão acostumados a usar peitoral também podem usá-lo no veículo, mas o mais indicado são as caixas de transporte, pois gatos costumam assustar-se com facilidade. Coelhos e mini pigs podem ser transportados em caixas utilizadas para cães e gatos, seguindo as mesmas regras de espaço e fixação no veículo. Para aves, utilizar também caixa de transporte ou uma gaiola pequena, com comedouro e bebedouros fixos, desde que seja possível prendê-la adequadamente ao cinto de segurança do carro.

5 – Riscos e cuidados extras

Os animais não devem ser transportados na caçamba de pick ups. Além de não possuir o suporte adequado para o transporte, o animal seria facilmente arremessado em freadas bruscas, curvas ou acidentes. Sem contar a exposição ao frio ou sol, chuva, vento em excesso e poluição.

Em viagens ou passeios mais demorados é necessário realizar uma parada a cada 2 horas para que o animal possa se movimentar, fazer as necessidades, beber água e se alimentar em pequenas quantidades.

Além de todos esses cuidados que proporcionam maior segurança aos pets e tutores, também vale lembrar do bolso. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro não é permitido conduzir animais nas partes externas do veículo (exceto em casos devidamente autorizados), o que caracteriza uma infração grave (multa e 5 pontos na carteira). Transportar animais no colo, meio das pernas ou do lado esquerdo do motorista, é considerada infração média (multa e 4 pontos na carteira).

Siga essas dicas e desfrute dos passeios com seu amigo com maior segurança.

Fonte: Central Press
(*) dados empresa Sleepypod
Imagens: Pixabay

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA