Páscoa é um momento de confraternização e de presentear amigos e parentes com guloseimas, mas é um período de grande risco para os pets. Protagonista da Páscoa, o chocolate torna-se um grande vilão se ingerido por animais, podendo até mesmo levar o bichinho à morte.

weimaraner-1381186_960_720
Ingestão de chocolate pode matar o pet

O chocolate é produzido com cacau, que é rico em substâncias estimulantes do sistema nervoso central, como a cafeína e a teobromina, a principal vilã para os animais. Os efeitos dessa substância no organismo dos pets variam conforme a raça, mas geralmente a dose tóxica é de 100 a 175 mg de teobromina por kg de peso no cão e de 80 a 150 mg por kg de peso no gato.

A quantidade de teobromina varia de acordo com o chocolate. Quanto mais escuro for o chocolate, maior a quantidade de cacau e, consequentemente, mais teobromina. Por exemplo, cada 100 gramas de chocolate ao leite contém 154 miligramas de teobromina, no chocolate meio amargo são 528 miligramas e no chocolate de culinária (aquele usado em bolos e ovos de Páscoa caseiros), 1.365 miligramas.

Como os cães e gatos são ineficientes em metabolizar a teobromina, o consumo de chocolate pode levar a um quadro extremamente perigoso de intoxicação, sendo os principais sinais clínicos vômito, diarreia e polidipsia (sede excessiva), nos casos mais leves, e arritmias, hiperatividade, tremores, convulsões e óbito, nos casos mais graves. Os riscos são maiores para filhotes, idosos, gatos e cães de pequeno porte.

Os mesmos perigos também valem para outros pets, como coelhos, porquinhos da índia e mini pigs. “A quantidade de teobromina no chocolate é suficiente para o consumo seguro por humanos, mas não para os nossos pets”, explica a veterinária Adriane Molardi Bainy. “O tutor também deve lembrar de manter os chocolates muito bem guardados, longe do alcance dos animais, pois, atraídos pelo aroma, os pets podem roubar o doce”.

O alerta vale também para os alimentos presentes nas refeições de Páscoa. Os molhos, temperos, sal, abacate, uvas e passas são perigosos para os animais também. “Se o tutor deseja oferecer uma refeição especial para seu pet, pode preparar um peixe sem espinhos.

Chocodogs_ovo_1499123
Existem petiscos de Páscoa para os pets

Nada de sal, temperos, alho ou cebola. E também oferecer legumes cozidos e frutas sem sementes”, comenta Adriane. “Como mimos de Páscoa há opções produzidas especialmente para os pets, como chocolates para animais e petiscos exclusivos”.

De olho nas tendências, o mercado pet já oferece diversos petiscos produzidos com ingredientes seguros e nutritivos para os animais. São ovos de Páscoa, bombons, muffins, waffers e snacks variados.

Até mesmo os animais com problemas de sobrepeso ou alergias alimentares podem ganhar um agrado. Há opções de snacks ligths, ossinhos naturais e petiscos hipoalergênicos, produzidos sem sal, corantes ou conservantes, por exemplo.

Fonte: Central Press
Imagens: Pixabay

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA