É comum dizer que os animais são os melhores amigos do homem, mas será que o homem é o melhor amigo do animal? Existem muitas pessoas que tratam os animais com carinho e amor, já outras não dão tanta atenção assim e muitas vezes acabam judiando dos pobres bichinhos.

Abandono de cachorrosO abandono de animais está cada vez mais presente na sociedade, basta andar nas ruas e ver a quantidade de cachorros e gatos que circulam pela cidade. Muitos desses animais foram abandonados e outros acabaram fugindo. É o caso da cachorra Hope, que foi encontrada em estado crítico pela estudante Mariana Dandara. “Encontrei a Hope na rua, em frente a minha casa, ela estava com semblante triste, bem magra e maltratada. Conforme fui cuidando dela e dando amor, ela mudou totalmente. Depois de dois meses meu pai permitiu que eu a adotasse. Hoje ela está saudável e feliz, morando comigo há pouco mais de um ano”.

No entanto, não são todos os animais que tem a mesma sorte. Pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde, estima que no Brasil existam mais de 30 milhões de animais abandonados, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães.Mude-Algo-no-Mundo2

Nas grandes cidades do país, para cada cinco habitantes há um cachorro. Destes, 10% estão abandonados.

No interior, esse número não chega a ser muito diferente, em Araçatuba por exemplo, são mais de 35 mil animais, destes 2,6 mil estão abandonados. A cidade de Marília conta com mais de 60 mil animais e a estimativa é de quase três mil em situação de abandono.

 

Infelizmente no Brasil não existe nenhuma lei efetiva que defenda os animais que sofrem com maus tratos, porém em outros países já existem leis que punem aqueles que abandonam ou causam algum mal aos bichinhos.

Para evitar que esse número cresça, antes de querer um animal de estimação, verifique se você poderá dar a atenção devida à ele. Caso não queira mais o bichinho, procure por alguém que o queira, ao invés de abandoná-lo na rua.

COMPARTILHAR
Próximos artigosO calor é perigoso para cães e gatos
Publicitário, diretor de cinema, escritor, fotógrafo e empresário. Atualmente, autor e diretor do projeto Vira-latas. Conta com a experiência de mais de 15 anos de projetos desenvolvidos, em diferentes segmentos da comunicação. Em busca de um futuro mais justo para os seres vivos.

5 COMENTÁRIOS

  1. Gente, é um absurdo a quantia de cães nas ruas, passando fome, maus tratos, enquanto em outros paises isso não existe! Sinto que o governo brasileiro não se importa em dar um acolhimento decente para os cães.
    Espero que as pessoas possam se educar nesse sentido, assim quem sabe diminuímos esse numero de abandonos.

  2. O que eu tenho observado é que as pessoas querem um filhotinho, porque é fofo, lindinho, etc. Mas esquecem que esse filhote vai crescer, ficar doente, dar trabalho, despesas, trazer responsabilidades que eles não estão dispostos a assumir. Então, o caminho 'mias fácil' é o abandono, porque eles pensam: "Alguém vai achar e vai cuidar"; e vão embora em paz com sua consciência, pouco se importando se o animal vai sofrer. É triste saber que a nossa espécie ainda está nesse grau de consciência. Acho que num futuro não muito distante ainda vamos chorar lágrimas amargas por tanto tempo de ignorância. Mas não somos culpados por aquilo que não sabemos, segundo o que eu aprendi... infelizmente agora eu sei, e não posso ignorar e fazer de conta que não vi, que não percebi. Minha consciência não me permite mais ignorar, e isso me causa muita tristeza, muito trabalho e sentimento de responsabilidade.

  3. a venda de cães, filhotes em pet centers, canis registrados ou não, deve ser combatido, afinal, procriar para venda com 30 milhões de animais abandonados não faz sentido algum, e só piora a situação atual, tira a visibilidade e a oportunidade de adoção dos abandonados. Além disso, a venda despersonaliza o ser, é um objeto, ou o filhote é uma mercadoria? não é...então não deve ser vendido. Absurdos são cometidos por quem vende, além da exploração de matrizes, que procriam sem parar, os filhotes são separados cedo, sem todas as vacinas e vermífugos, a mãe é impedida de conviver com seus filhotes, e para o lucro faz-se cruzas errôneas causando todos o tipo de problemas genéticos e comportamentais nos filhotes. Também não cumprem a lei que exige que a venda seja feita por canis registrados e somente de filhotes castrados e micro-chipados. E existem tantos outros motivos para que a venda seja totalmente proibida. Desta forma, os cães já existentes teriam uma chance de encontrar que realmente os queira. Temos que ir além do enxugar gelo e lutar contra as causas do abandono. Conscientização é primordial, com propagandas na net, tv, rádio, nas ruas com panfletos, nos consultórios veterinários e ongs. Falar sobre a castração, a importância da adoção e sobre não comprar animais. Lutar por leis mais severas, Abç

DEIXE UMA RESPOSTA