Ao nosso redor temos uma realidade que muitos de nós desconhecemos. O abandono. Mais de 30 milhões de animais vagando pelas ruas, todos os dias. Um número que aumenta a cada ano. Mas o que, de fato, isso representa? E o mais importante, o que você tem a ver com isso? Mais do que você imagina.

O abandono é resultante da pior crueldade de todas: a impunidade. No Brasil, semeamos a impunidade através da corrupção, acreditando cegamente em valores distorcidos. Ou simplesmente, não valorizamos nossa maior riqueza, a democracia.

Marcha-Brasil-17-de-junio-2013-Movimiento-Pase-Libre-Brasilia-CongresoEm breve seremos responsabilizados, pela falta d’água. Mas somos nós os verdadeiros responsáveis? Não seria a escassez das chuvas? Obvio que não. A verdadeira culpa está na corrupção, onde não existe espaço para a implementação de alternativas para a geração de energia. Alternativas sustentáveis como a energia solar ou eólica. Somos escravos da máfia das usinas hidrelétricas e do monopólio multibilionário e corrupto do petróleo. Ao longo dos últimos 500 anos, observamos passivamente o Brasil ser explorado desordenadamente. Temos abundantes recursos naturais, mas nas mãos de monopólios comprovadamente corruptos, camuflados numa constante fantasia de carnaval e BBBs. Deixamos nos levar pela impunidade, de olhos atentos ao Jornal Nacional, na previsão do tempo, como se essa fosse a solução. Tomara que chova!

E de que adianta surgirem tantas e tantas Leis, se elas não são devidamente aplicadas?
Porque existe o outro lado na impunidade, o desinteresse pela formação do cidadão, a educação. Somos o país da cultura do “jeitinho brasileiro”, onde “salve-se quem puder”. É do conhecimento que nasce o respeito. E onde não há educação, não há conhecimento, não há respeito, nem pelo próximo e muito menos pelos animais. Pensando assim, talvez sejamos nós os verdadeiros abandonados.

Vira-latas_SPSem respeito temos, por exemplo, 30 milhões de animais abandonados nas ruas, temos os maus tratos. E não adianta sair por ai apontado o dedo, culpando os serviços municipais, as ONGs e tantos outros que lutam diariamente pelos animais. O verdadeiro culpado é você. Sim, foi você que votou errado. A verdadeira mudança começa dentro de nós, nas pequenas atitudes, no trabalho participativo, colaborativo, no verdadeiro empreendedorismo social. Pense nisso nas próximas eleições.

Hoje é moda dizer que se importa, mas na verdade não se importam, não estão cuidando. Quando você vê um orelhão quebrado nas ruas, você se importa com isso? Deveria, pois ele foi colocado ali com o pagamento dos seus impostos. E o que estão fazendo com os seus impostos? [pull_quote_right]é moda dizer que se importa, mas na verdade não se importam, não estão cuidando[/pull_quote_right]Poderia ser aplicado na proteção animal, na educação. Mas em vez disso, continua sendo aplicado em propagandas enganosas, e em intermináveis matérias jornalísticas relacionadas aos baixos níveis das bacias hidrográficas do país, como se a culpa fosse da chuva. É bom você abrir o olho, a água está acabando, mas não é a chuva que vai "resolver".

Está na hora de abraçarmos a verdadeira democracia em prol dos nossos direitos. Afinal, estamos todos conectados, somos todos animais deste planeta. É hora de despertamos novos horizontes através da mudança de atitude, a nossa atitude. Se você não se mexer, o mundo não vai mudar.

Você está pronto para mudar a maneira como você vive? Pode começar.

5 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA