Os cães estão conquistando os lares brasileiros. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde realizada pelo IBGE em 2015, a cada 100 famílias, 44 têm pelo menos um animal. Eles cativam e preenchem um espaço afetivo como parte da família, mas é importante se atentar a alguns cuidados, principalmente as restrições alimentares.

dogs-1598147__340Pensando na saúde e bem-estar dos pets a Farmina Pet Foods listou algumas particularidades alimentares que devem ser seguidas para evitar doenças como, obesidade, problemas cardíacos, respiratórios e articulares nos cães.

A caça

Os cães possuem hábitos alimentares típicos de carnívoros, como caçar e se alimentar de presas, igual seus ancestrais - os lobos. Com o passar dos anos, o sistema digestivo do pet se adaptou para aproveitar melhor os alimentos, como carboidratos de origem vegetal. Já o estômago possui pH ácido, que ajuda a "quebrar" as proteínas ingeridas para serem aproveitadas pelo organismo. Os dentes longos e afiados são utilizados para rasgar e separar a carne em pedaços, extremamente úteis para prender e dilacerar as presas. Possuem o sistema digestório curto, diferente dos onívoros e dos herbívoros, que consomem muitos vegetais e precisam de um sistema digestório longo para digerir os alimentos.

Armazenamento de alimentos

Os cães comem grandes porções de refeição, pois seu estômago consegue armazenar os alimentos de uma vez, já que na natureza passavam mais de uma semana sem se alimentar, devido à dificuldade de caça. Como os cães domésticos comem diariamente, a quantidade de comida deve ser sempre controlada, pois a partir do convívio com o humano criaram hábitos e preferências por alimentos ricos em açúcares e carboidratos. Em essência, gostam de alimentos de origem animal e ricos em gorduras, pois oferece a fonte de energia que precisam.

Consumo de carboidratos         

A presença de carboidratos na dieta dos cães é importante, pois faz parte de sua alimentação natural, como a ingestão de frutas. Já os carboidratos refinados, como a farinha de trigo, o açúcar, a massa, entre outros alimentos que o ser humano desenvolveu, são prejudiciais para a saúde do cão, predispondo de doenças como, diabetes mellitus, obesidade, alergias de pele, diarreia e gases, além do tártaro nos dentes.

Há opções de carboidratos saudáveis, quando oferecidos com moderação. A batata, a beterraba e a mandioca são ótimos exemplos, oferecem energia, além de serem fontes de fibras e diversas vitaminas. Os legumes, como as abóboras e cenouras, também são ótimas fontes de carboidratos, pois fornecem energia, fibras e muitas vitaminas. O betacaroteno presente nestes legumes auxilia na prevenção de problemas cardiovasculares, além de ter efeito antioxidante, que neutraliza os radicais livres, aumentando a eficácia da imunidade do pet.

A laranja é uma excelente fonte de vitamina C (ácido ascórbico), que serve para a formação de glóbulos vermelhos do sangue, absorção do ferro e a formação de ossos e dentes, além de melhorar a resistência à infecções. A maçã, por sua vez, possui muitas fibras como a pectina, que auxilia a manter a glicemia do pet em níveis equilibrados.

É indicado oferecer uma dieta com pouco carboidrato, rica em proteínas e gorduras de origem animal. Os cães precisam de uma alimentação que respeite suas necessidades naturais e garanta uma nutrição saudável em todas as fases da vida.

Fonte: Trama Comunicação
Imagens: Pixabay

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA